Governo dificulta Importações
Voltar
Governo dificulta Importações

Governo dificulta Importações

Publicado em 19/05/2011


Governo opta por dificultar a importação de mais 17 produtos. SÃO PAULO - Depois de dificultar a importação de veículos, o governo Dilma cassou a licença automática para a importação de 17 produtos. Os produtos estão sob investigação no Decom (Departamento de Defesa Comercial), órgão do MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior). A ação afeta 20 países. A decisão vai reduzir a entrada de produtos siderúrgicos, papel revestido (usado na indústria gráfica), vidro plano e insumos para a indústria química. Todos são investigados a pedido dos fabricantes locais. Essas investigações podem resultar em atos de defesa comercial, como salvaguardas, compensações ou medidas antidumping. Segundo o vice-presidente da AEB (Associação de Comércio Exterior do Brasil), José Augusto de Castro, o impacto da decisão não pode ser medido agora, mas o aumento de preços internos pode ser uma conseqüência. "O governo tem que estar atento [a reajustes de preços]. Não sei se o MDIC tem gente e competência legal para monitorar isso. Acho que não tem nenhum dos dois", disse Castro. Ele defendeu, entretanto, uma posição mais pró-ativa do governo na defesa comercial. A ação representa nova política do governo federal. Até agora, a abertura de investigação não implicava suspensão da licença automática para a importação. Para justificar a decisão, o governo adotou o argumento de que a licença inibe a importação de grandes quantidades para formar estoques. SEM AVISO Afora pronunciamento do ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento) sobre o fim da licença automática para veículos, o freio à importação de outros itens veio sem aviso prévio. Segundo o ministério, a medida é considerada ato administrativo, não sujeito a publicação de resoluções ou portarias. Isso irritou empresas que tentavam registrar a importação de papel. A nova exigência passou a ser conhecida pelos importadores no momento do registro da operação no Siscomex (Sistema Integrado de Comércio Exterior), quando o código do produto é inserido. PRAZO Agora, os importadores ficarão submetidos ao tempo determinado pelas autoridades para a concessão da licença. O prazo legal é de dois meses. O ministério diz que, em média, esse prazo é inferior a 60 dias. O MDIC não revelou qual é o prazo médio. Fonte: Folha de S.Paulo Foto/Divulgação

Compartilhar

Veja também

Comércio internacional fraqueja e ameaça crescimento global

Publicado em 16/07/2018


      Os dados de transações de mercadorias pioraram mesmo antes das medidas protecionistas aplicadas pelos EUA....

Ver mais detalhes

Portaria da Camex altera Lista Brasileira de Exceções à Tarifa Externa Comum do Mercosul

Publicado em 11/07/2018


 A Câmara de Comércio Exterior (Camex) publicou dia 05, no Diário Oficial da União (DOU)...

Ver mais detalhes
2011 CZL Network, © and ™ CZL Networks. All Rights Reserved.
QualityPress Newsletter

Todos os campos são obrigatóirios.